DIAGNOSTICO DO AUTISMO POR NÃO ESPECIALISTA. 

DIAGNOSTICO DO AUTISMO POR NÃO ESPECIALISTA. 

CRIANÇAS AUTISTAS: PREVALÊNCIA ELEVADA DE SINTOMAS GASTROINTESTINAIS. 
22/08/2023
TRATAMENTO DA TUBERCULOSE, REDUÇÃO DE 18 PARA 6 MESES, NO TRATAMENTO PELO SUS.
23/08/2023
CRIANÇAS AUTISTAS: PREVALÊNCIA ELEVADA DE SINTOMAS GASTROINTESTINAIS. 
22/08/2023
TRATAMENTO DA TUBERCULOSE, REDUÇÃO DE 18 PARA 6 MESES, NO TRATAMENTO PELO SUS.
23/08/2023

Um estudo recentemente publicado na Pediatrics (edição de agosto de 2023) destaca a capacidade de clínicos de atenção primária com treinamento especializado em realizar diagnósticos precisos de autismo em crianças pequenas.

O estudo, intitulado “Precisão diagnóstica de clínicos de atenção primária em um sistema estadual de avaliação do autismo”, foi realizado em colaboração com o sistema Early Autism Evaluation Hub, uma rede de clínicos de atenção primária treinados para fornecer avaliações diagnósticas simplificadas para crianças pequenas com maior probabilidade de autismo, entre 14 e 48 meses de idade.

Entre as 126 crianças avaliadas no estudo, foi observada uma concordância de 82% nos diagnósticos entre clínicos não especialistas e especialistas em autismo, quando seguidos os procedimentos de treinamento padrão e caminho clínico estabelecidos. Esses resultados sugerem que clínicos de cuidados primários com treinamento especializado são confiáveis ao confirmar um diagnóstico de autismo.

Os autores do estudo enfatizam a importância dos clínicos de atenção primária em conduzir avaliações diagnósticas, especialmente para crianças pequenas em maior risco de autismo. Isso é crucial para reduzir atrasos no diagnóstico e desigualdades, especialmente em famílias historicamente mais vulneráveis a desafios socioeconômicos e educacionais. O estudo destaca que atrasos no diagnóstico podem impedir a participação em intervenções cruciais nos estágios iniciais da vida.

Os pesquisadores também apontam que a próxima etapa essencial é desenvolver estratégias de teste que minimizem casos de diagnóstico incorreto, a fim de garantir a precisão e qualidade das avaliações simplificadas de autismo conduzidas pela comunidade.

Fonte: Modelo de Avaliação Baseado na Comunidade Demonstrado como Abordagem Válida para Reduzir Atrasos no Diagnóstico de Autismo (aap.org)

doctorhub.com.br

Comments are closed.