O ÁCIDO BEMPEDÓICO REDUZ OS PRINCIPAIS EVENTOS CARDIOVASCULARES ADVERSOS?
A ADENOMIOSE PODE INTERFERIR EM RESULTADOS OBSTÉTRICOS E NEONATAIS?
07/07/2023
ANÁLISES SALIVARES NA DETECÇÃO PRECOCE E PROGNÓSTICO DO CÂNCER DE ESÔFAGO
10/07/2023
A ADENOMIOSE PODE INTERFERIR EM RESULTADOS OBSTÉTRICOS E NEONATAIS?
07/07/2023
ANÁLISES SALIVARES NA DETECÇÃO PRECOCE E PROGNÓSTICO DO CÂNCER DE ESÔFAGO
10/07/2023

“De Humani Corporis Fabrica”: Saiba como Andreas Vesalius revolucionou o estudo da anatomia em 1543

Este atlas de anatomia de autoria do médico belga Andreas Vesalius (1514-1564), considerado radical à época, não apenas trouxe revoluções quanto ao conhecimento no tema, como mostrou-se extremamente rico pela beleza de seus desenhos.

Até então, os antigos textos de Aristóteles e Galeno eram considerados autoridades nas escolas médicas européias.

Porém, ao realizar suas próprias dissecções, Vesalius descobriu erros nos ensinamentos dos autores antigos. Ao chamar a atenção para essas falhas, inicialmente ameaçou o estabelecimento médico acadêmico, mas acabou ganhando admiração de Carlos V, a quem dedicou o volume e reconhecimento como médico da corte.

As mais de 200 xilogravuras executadas por um grupo habilidoso de artistas
foram pioneiras no campo do estudo da anatomia e além de serem didáticas na intenção, elas também são ricas em mérito estético.

A capa, inclusive, ousa em mostrar o próprio autor discursando para uma enorme multidão enquanto disseca um cadáver com as próprias mãos.

Outros desenhos também retratam uma série de homens esfolados e alguns esqueletos, como se estivessem em poses de dor ou contemplação, em paisagens com cidades distantes e horizontes baixos. Além de demonstrarem as estruturas físicas do corpo, implicam preocupação com aspectos mais elusivos da condição humana.

Fonte:Andreas Vesalius | De humani corporis fabrica (Of the Structure of the Human Body) | The Metropolitan Museum of Art (metmuseum.org)

Livro de 1543 ensina anatomia em ilustrações exuberantes – BBC News Brasil

doctorhub.com.br

Comments are closed.