VACINA CONTRA O VÍRUS SINCICIAL RESPIRATÓRIO É EFICAZ NA PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM IDOSOS

VACINA CONTRA O VÍRUS SINCICIAL RESPIRATÓRIO É EFICAZ NA PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM IDOSOS

AFINAL, O USO DE CRANBERRY REDUZ ITU’S?
28/04/2023
A RELAÇÃO ENTRE A DEXMEDETOMIDINA E A OCORRÊNCIA DE FIBRILAÇÃO ATRIAL.
05/05/2023
AFINAL, O USO DE CRANBERRY REDUZ ITU’S?
28/04/2023
A RELAÇÃO ENTRE A DEXMEDETOMIDINA E A OCORRÊNCIA DE FIBRILAÇÃO ATRIAL.
05/05/2023

O Vírus Sincicial Respiratório (RSV) é uma causa importante de infecções respiratórias agudas, doenças do trato respiratório inferior, complicações clínicas e morte em idosos.

O Vírus Sincicial Respiratório (RSV) é uma causa importante de infecções respiratórias agudas, doenças do trato respiratório inferior, complicações clínicas e morte em idosos.

Um ensaio clínico de fase 3, internacional e controlado por placebo foi conduzido em adultos com 60 anos ou mais para avaliar a eficácia e segurança de uma vacina candidata contra o RSV. Neste estudo, os participantes foram randomizados em uma proporção de 1:1 para receber uma dose única da vacina RSVPreF3 OA adjuvada com AS01E ou placebo antes da temporada de RSV.

Os resultados deste estudo demonstraram que uma dose da vacina RSVPreF3 OA adjuvada com AS01E foi eficaz na prevenção de doenças do trato respiratório inferior relacionadas ao RSV confirmadas por RT-PCR. A eficácia da vacina foi de 82,6%, com 7 casos (1,0 por 1.000 participantes-ano) no grupo da vacina e 40 casos (5,8 por 1.000 participantes-ano) no grupo do placebo. A eficácia da vacina também foi alta contra a doença grave relacionada ao RSV e a infecção respiratória aguda relacionada ao RSV.

Embora a vacina tenha sido mais reatogênica do que o placebo, os eventos adversos relatados foram predominantemente transitórios e de intensidade leve a moderada. A vacina RSVPreF3 OA foi considerada segura e eficaz na prevenção de infecções respiratórias relacionadas ao RSV em adultos com 60 anos ou mais, independentemente do subtipo de RSV e da presença de condições médicas subjacentes.

Para acessar o artigo, clique aqui.

doctorhub.com.br

Comments are closed.