Tratamentos psicológicos para depressão e ansiedade na demência | DoctorHub

Tratamentos psicológicos para depressão e ansiedade na demência e comprometimento cognitivo leve

Efeitos dos inibidores do sistema renina-angiotensina na mortalidade e gravidade da doença de pacientes com COVID-19: uma meta-análise de ensaios controlados randomizados
20/05/2022
Meta-análise do índice de fragilidade de ensaios controlados randomizados mostra força de evidência altamente robusta para benefício de alteplase intravenosa < 3 horas
20/05/2022
Efeitos dos inibidores do sistema renina-angiotensina na mortalidade e gravidade da doença de pacientes com COVID-19: uma meta-análise de ensaios controlados randomizados
20/05/2022
Meta-análise do índice de fragilidade de ensaios controlados randomizados mostra força de evidência altamente robusta para benefício de alteplase intravenosa < 3 horas
20/05/2022

Essa é uma revisão sistemática que avalia na demência e comprometimento cognitivo leve os tratamentos psicológicos para depressão e ansiedade.

RESUMO

Experimentar ansiedade e depressão é muito comum em pessoas que vivem com demência e comprometimento cognitivo leve (CCL). Há incerteza sobre a melhor abordagem de tratamento. Os tratamentos medicamentosos podem ser ineficazes e associados a efeitos adversos. As diretrizes recomendam tratamentos psicológicos. Nesta revisão sistemática atualizada, investigamos a eficácia de diferentes abordagens de tratamento psicológico.

OBJETIVOS PRIMÁRIOS E SECUNDÁRIOS

OBJETIVOS PRIMÁRIOS

Avaliar a eficácia clínica de intervenções psicológicas na redução da depressão e ansiedade em pessoas com demência ou MCI.

OBJETIVOS SECUNDÁRIOS

Determinar se as intervenções psicológicas melhoram a qualidade de vida, a cognição, as atividades da vida diária (AVD) dos indivíduos e reduzem os sintomas comportamentais e psicológicos da demência, e se melhoram a qualidade de vida do cuidador ou reduzem a sobrecarga do cuidador.

MÉTODOS DE PESQUISA

Pesquisamos ALOIS, o registro do Cochrane Dementia and Cognitive Improvement Group, MEDLINE, Embase, quatro outros bancos de dados e três registros de ensaios em 18 de fevereiro de 2021.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

Incluímos ensaios clínicos randomizados (ECRs) que compararam uma intervenção psicológica para depressão ou ansiedade com o tratamento usual (TAU) ou outra intervenção de controle em pessoas com demência ou CCL.

COLETA DE DADOS E ANÁLISES

Um mínimo de dois autores trabalhou de forma independente para selecionar ensaios, extrair dados e avaliar os estudos quanto ao risco de viés. Classificamos as intervenções psicológicas incluídas como terapias cognitivo-comportamentais (terapia cognitivo-comportamental (TCC), ativação comportamental (BA), terapia de resolução de problemas (PST)); terapias de ‘terceira onda’ (como terapia cognitiva baseada em mindfulness (MBCT)); terapias de apoio e aconselhamento; e terapias interpessoais. Comparamos cada classe de intervenção com o controle. Expressamos os efeitos do tratamento como diferenças médias padronizadas ou razões de risco. Sempre que possível, reunimos dados usando um modelo de efeitos fixos. Usamos os métodos GRADE para avaliar a certeza da evidência por trás de cada resultado.

RESULTADOS PRINCIPAIS

Incluímos 29 estudos com 2.599 participantes. Todos foram publicados entre 1997 e 2020. Houve 15 ensaios de terapias cognitivo-comportamentais (4 CBT, 8 BA, 3 PST), 11 ensaios de terapias de apoio e aconselhamento, três ensaios de MBCT e um de terapia interpessoal. Os grupos de comparação receberam cuidados usuais, educação sobre controle de atenção ou cuidados usuais aprimorados incorporando uma condição de controle ativo que não era um tratamento psicológico específico. Houve 24 ensaios de pessoas com diagnóstico de demência e cinco ensaios de pessoas com MCI. A maioria dos estudos foi realizada em ambientes comunitários. Não consideramos nenhum dos estudos com baixo risco de viés em todos os domínios.

TERAPIAS COGNITIVO-COMPORTAMENTAIS(TCC, BA, PST)

As terapias cognitivo-comportamentais são provavelmente um pouco melhores do que o tratamento usual ou as condições de controle ativo para reduzir os sintomas depressivos (diferença média padronizada (SMD) -0,23, IC 95% -0,37 a -0,10; 13 ensaios, 893 participantes; evidência de certeza moderada). Eles também podem aumentar as taxas de remissão da depressão no final do tratamento (razão de risco (RR) 1,84, IC 95% 1,18 a 2,88; 2 estudos, com um estudo contribuindo com 2 comparações independentes, 146 participantes; evidência de baixa certeza). Estávamos muito incertos sobre o efeito das terapias cognitivo-comportamentais na ansiedade no final do tratamento (SMD -0,03, IC 95% -0,36 a 0,30; 3 ensaios, 143 participantes; evidência de qualidade muito baixa). As terapias cognitivo-comportamentais provavelmente melhoram a qualidade de vida do paciente (SMD 0,31, IC 95% 0,13 a 0,50; 7 estudos, 459 participantes; evidência de certeza moderada) e atividades da vida diária no final do tratamento em comparação com o tratamento usual ou controle ativo (SMD -0,25, IC 95% -0,40 a -0,09; 7 ensaios, 680 participantes; evidência de certeza moderada).

INTERVENÇÕES DE APOIO E ACONSELHAMENTO

A meta-análise mostrou que as intervenções de apoio e aconselhamento podem ter pouco ou nenhum efeito sobre os sintomas depressivos em pessoas com demência em comparação com os cuidados habituais no final do tratamento (SMD -0,05, IC 95% -0,18 a 0,07; 9 ensaios, 994 participantes; baixo – evidência de certeza). Estávamos muito incertos sobre os efeitos desses tratamentos na ansiedade, que foi avaliado apenas em um pequeno estudo piloto.

OUTRAS INTERVENÇÕES

Havia muito poucos dados e evidências de qualidade muito baixa sobre MBCT e terapia interpessoal, por isso não conseguimos tirar conclusões sobre a eficácia dessas intervenções.

CONCLUSÕES DOS AUTORES

Tratamentos baseados em TCC adicionados aos cuidados habituais provavelmente reduzem ligeiramente os sintomas de depressão para pessoas com demência e CCL e podem aumentar as taxas de remissão da depressão. Pode haver modificadores de efeito importantes (grau de depressão inicial, diagnóstico cognitivo ou conteúdo da intervenção). Os tratamentos baseados em TCC provavelmente também têm um pequeno efeito positivo na qualidade de vida e nas atividades da vida diária. Intervenções de suporte e aconselhamento podem não melhorar os sintomas de depressão em pessoas com demência. Os efeitos de ambos os tipos de tratamento sobre os sintomas de ansiedade são muito incertos. Também não temos certeza sobre os efeitos de outros tipos de tratamentos psicológicos e sobre a persistência dos efeitos ao longo do tempo. Para informar as diretrizes clínicas, estudos futuros devem avaliar os componentes detalhados dessas intervenções e sua implementação em diferentes populações de pacientes e em diferentes contextos.

Para ler o resumo completo, em português, acesse a plataforma. Ainda não é cadastrado? Cadastre-se aqui .

Este resumo refere-se ao conteúdo originalmente publicado em: https://www.cochranelibrary.com/cdsr/doi/10.1002/14651858.CD009125.pub3/full

doctorhub.com.br

Comments are closed.