FRATURAS NA CRIANÇA: ESTAMOS FICANDO MAIS CIRÚRGICOS?

FRATURAS NA CRIANÇA: ESTAMOS FICANDO MAIS CIRÚRGICOS?

CONVITE ESPECIAL – UM EVENTO QUE TRATA A SAÚDE DA MULHER COM PROFUNDIDADE
11/08/2023
CRIANÇAS AUTISTAS: PREVALÊNCIA ELEVADA DE SINTOMAS GASTROINTESTINAIS. 
22/08/2023
CONVITE ESPECIAL – UM EVENTO QUE TRATA A SAÚDE DA MULHER COM PROFUNDIDADE
11/08/2023
CRIANÇAS AUTISTAS: PREVALÊNCIA ELEVADA DE SINTOMAS GASTROINTESTINAIS. 
22/08/2023

As cirurgias no esqueleto imaturo tem indicações mais limitadas que em adultos. Porem algumas melhoras vêm demonstrando uma nova tendência de avaliar e tratar fraturas na criança.

A melhora na qualidade e segurança das anestesias, novos equipamentos de imagem, implantes desenhados especialmente para fraturas pediátricas, associados à possibilidade de menor tempo de hospitalização e rápido retorno ao convívio social vêm demonstrando uma nova tendência de avaliar e tratar fraturas na criança.

Com certeza, nas últimas décadas, foi evidente o aumento na indicação e no tratamento cirúrgico das fraturas pediátricas. A literatura ainda não possui consenso sobre algumas fraturas pediátricas, devido ao grande poder de remodelamento do esqueleto imaturo. Não sendo possível determinar com segurança se o tratamento cirúrgico, já consolidado, é superior ao tratamento não operatório. Assim, a indicação cirúrgica deve ser individualizada e conduzida em concordância com a experiência do cirurgião, com os recursos tecnológicos disponíveis, baseado na literatura e nos anseios da família.

Para acesso ao artigo, acesse: https://cdn.publisher.gn1.link/rbo.org.br/pdf/0102-3616-rbort-58-02-0191_pt.pdf

doctorhub.com.br

Comments are closed.