Sugemalimab em combinação com quimioterapia | DoctorHub

Sugemalimab Em Combinação Com Quimioterapia À Base De Platina Como Tratamento De Primeira Linha De CPNPC Metastático

FDA diz que testes rápidos de COVID-19 em casa não são tão sensíveis ao Omicron
21/01/2022
Infusão Arterial Hepática De FOLFOX Vs Quimioembolização Transarterial Para Carcinoma Hepatocelular Grande
21/01/2022
FDA diz que testes rápidos de COVID-19 em casa não são tão sensíveis ao Omicron
21/01/2022
Infusão Arterial Hepática De FOLFOX Vs Quimioembolização Transarterial Para Carcinoma Hepatocelular Grande
21/01/2022

Sugemalimab em combinação com quimioterapia à base de platina como tratamento de primeira linha de CPNPC metastático

Lancet Oncol; 2022 Jan 14

  • Neste estudo de fase III, pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas (CPNPC) escamoso e não escamoso foram randomizados para tratamento de primeira linha com sugemalimabe mais quimioterapia ou placebo mais quimioterapia. Houve um benefício significativo de sobrevida livre de progressão associado à adição de sugemalimabe em comparação com placebo, independentemente da expressão de PD-L1.
  • Sugemalimabe mais quimioterapia pode ser uma nova opção de tratamento de primeira linha para CPNPC escamoso e não escamoso.

FUNDO

O inibidor de PD-1 mais quimioterapia demonstrou ser um tratamento de primeira linha eficaz para pacientes com câncer de pulmão de células não pequenas metastático (NSCLC). No entanto, não houve evidência robusta mostrando que um inibidor de PD-L1 combinado com quimioterapia beneficiou pacientes com CPNPC escamoso e não escamoso. GEMSTONE-302 teve como objetivo avaliar a eficácia e segurança de um inibidor de PD-L1, sugemalimab, mais quimioterapia para pacientes com CPNPC metastático escamoso ou não escamoso.

MÉTODOS

Este estudo randomizado, duplo-cego, de fase 3, foi realizado em 35 hospitais e centros de pesquisa acadêmica na China. Os pacientes elegíveis tinham idade entre 18 e 75 anos, tinham CPNPC escamoso ou não escamoso em estágio IV confirmado histologicamente ou citologicamente sem mutações sensibilizantes de EGFR conhecidas, fusões ALK, ROS1 ou RET, nenhum tratamento sistêmico prévio para doença metastática e um Grupo de Oncologia Cooperativa Oriental (ECOG) de 0 ou 1. Os pacientes foram designados aleatoriamente (2:1) para receber sugemalimabe (1200 mg, por via intravenosa, a cada 3 semanas) mais quimioterapia à base de platina (carboplatina [área sob a curva (AUC) 5 mg/ mL por min, por via intravenosa] e paclitaxel [175 mg/m2, por via intravenosa] para CPNPC escamoso, ou carboplatina [AUC 5 mg/mL por minuto, por via intravenosa] e pemetrexedo [500 mg/m2, por via intravenosa] para CPNPC não escamoso; grupo sugemalimab) ou placebo mais os mesmos regimes de quimioterapia à base de platina para NSCLC escamoso ou não escamoso como no grupo sugemalimab; grupo placebo) por até quatro ciclos, seguido de terapia de manutenção com sugemalimabe ou placebo para CPNPC escamoso e sugemalimabe intravenoso 500 mg/m2 ou placebo correspondente mais pemetrexedo para CPNPC não escamoso. A randomização foi feita por um sistema interativo de voz-web-resposta por meio de blocos permutados (o tamanho do bloco era uma mistura de três e seis com uma ordem aleatória dentro de cada estrato) e estratificado pelo status de desempenho do ECOG, expressão de PD-L1 e patologia do tumor. Os investigadores, pacientes e o patrocinador foram mascarados para atribuição de tratamento. O desfecho primário foi a sobrevida livre de progressão avaliada pelo investigador na população com intenção de tratar. A segurança foi analisada em todos os pacientes que receberam pelo menos uma dose de tratamento. Os resultados relatados são de uma análise interina pré-especificada (ou seja, quando o estudo atingiu o desfecho primário) e uma análise atualizada (análise final pré-especificada para sobrevida livre de progressão) com um acompanhamento mais longo. Este estudo está registrado no ClinicalTrials.gov (NCT03789604), está fechado para novos participantes e o acompanhamento está em andamento.

DESCOBERTAS

Entre 13 de dezembro de 2018 e 15 de maio de 2020, 846 pacientes foram avaliados para elegibilidade; 367 eram inelegíveis, e os 479 pacientes restantes foram aleatoriamente designados para o grupo sugemalimab (n=320) ou grupo placebo (n=159). Na análise interina pré-planejada (data de corte em 8 de junho de 2020; acompanhamento médio de 8,6 meses [IQR 6·1-11·4]), GEMSTONE-302 atingiu seu endpoint primário, com sobrevida livre de progressão significativamente maior no grupo sugemalimabe em comparação com o grupo placebo (mediana de 7,8 meses [IC 95% 6,9-9,0] vs 4,9 meses [4,7-5,0]; razão de risco estratificada [HR] 0,50 [ 95% CI 0,39-0,64], p<0,0001]). Na análise final (15 de março de 2021) com acompanhamento médio de 17,8 meses (IQR 15,1-20,9), a melhora na sobrevida livre de progressão foi mantida (mediana de 9,0 meses [95% CI 7·4-10·8] vs 4·9 meses [4·8-5·1]; HR estratificado 0,48 [IC 95% 0·39-0·60], p<0,0001). Os eventos adversos de grau 3 ou 4 mais comuns relacionados ao tratamento foram diminuição da contagem de neutrófilos (104 [33%] de 320 com sugemalimabe vs 52 [33%] de 159 com placebo), diminuição da contagem de leucócitos (45 [14%] vs 27 [17%]), anemia (43 [13%] vs 18 [11%]), contagem de plaquetas diminuída (33 [10%] vs 15 [9%]) e neutropenia (12 [4%] vs sete [4%]). Quaisquer eventos adversos graves relacionados ao tratamento ocorreram em 73 (23%) pacientes no grupo sugemalimab e 31 (20%) pacientes no grupo placebo. Quaisquer mortes relacionadas ao tratamento foram relatadas em dez (3%) pacientes no grupo sugemalimabe (pneumonia com insuficiência respiratória em um paciente; mielossupressão com choque séptico em um paciente; pneumonia em dois pacientes; insuficiência respiratória, dor abdominal, insuficiência cardíaca e pneumonite imunomediada em um paciente cada;

INTERPRETAÇÃO

Sugemalimabe mais quimioterapia mostrou uma melhora estatisticamente significativa e clinicamente significativa na sobrevida livre de progressão em comparação com placebo mais quimioterapia, em pacientes com CPNPC metastático escamoso e não escamoso não tratado anteriormente, independentemente da expressão de PD-L1, e pode ser uma nova opção de tratamento de primeira linha para CPNPC metastático escamoso e não escamoso.

Gostou do conteúdo? Acesse o link abaixo e descubra muito mais. Temos materiais sobre diversos assuntos disponíveis para você, além de vários outros benefícios. Confira!

doctorhub.com.br

Comments are closed.