Manejo de Anticoagulantes e Antiplaquetários | DoctorHub

Diretrizes de Prática Clínica do American College of Gastroenterology-Canadian Association of Gastroenterology: Manejo de Anticoagulantes e Antiplaquetários Durante o Sangramento Gastrointestinal Agudo e o Período Periendoscópico

Profilaxia Primária com Norfloxacina para Insuficiência Hepática Aguda-Crônica Definida por APASL: Um Ensaio Randomizado Duplo-Cego Controlado por Placebo
13/05/2022
Efeito da semaglutida subcutânea semanal versus liraglutida diária no peso corporal em adultos com sobrepeso ou obesidade sem diabetes. O Estudo Clínico Randomizado
13/05/2022
Profilaxia Primária com Norfloxacina para Insuficiência Hepática Aguda-Crônica Definida por APASL: Um Ensaio Randomizado Duplo-Cego Controlado por Placebo
13/05/2022
Efeito da semaglutida subcutânea semanal versus liraglutida diária no peso corporal em adultos com sobrepeso ou obesidade sem diabetes. O Estudo Clínico Randomizado
13/05/2022

Em 01 de Abril de 2022, a American College of Gastroenterology e a Canadian Association of Gastroenterology forneceram diretrizes para o manejo periendoscópico de antitrombóticos durante sangramento gastrointestinal agudo.

RESUMO

Conduzimos revisões sistemáticas de questões clínicas predefinidas e usamos a abordagem Grading of Recommendations, Assessment, Development and Evaluations para desenvolver recomendações para o manejo periendoscópico de drogas anticoagulantes e antiplaquetárias durante o sangramento gastrointestinal (GI) agudo e o cenário endoscópico eletivo.

As seguintes recomendações são direcionadas aos pacientes que apresentam sangramento GI agudo: Para pacientes em uso de varfarina, não recomendamos a administração de plasma fresco congelado ou vitamina K; se necessário, sugerimos concentrado de complexo de protrombina (PCC) em comparação com a administração de plasma fresco congelado; para pacientes em uso de anticoagulantes orais diretos (DOACs), sugerimos contra a administração de PCC; se em dabigatrana, sugerimos contra a administração de idarucizumabe, e se em uso de rivaroxabana ou apixabana, sugerimos contra a administração de andexanet alfa; para pacientes em uso de antiplaquetários, sugerimos contra as transfusões de plaquetas; e para pacientes em uso de ácido acetilsalicílico cardíaco (AAS) para prevenção secundária, sugerimos não mantê-lo, mas se o AAS foi interrompido, sugerimos a retomada no dia em que a hemostasia for confirmada endoscopicamente.

As recomendações a seguir são direcionadas aos pacientes no cenário de endoscopia eletiva (planejada): Para pacientes em uso de varfarina, sugerimos a continuação em vez da interrupção temporária (1 a 7 dias), mas se for realizada para procedimentos com alto risco de sangramento GI, sugerimos contra a anticoagulação em ponte, a menos que o paciente tenha uma válvula cardíaca mecânica; para pacientes em uso de DOACs, sugerimos interrompê-los temporariamente em vez de continuá-los; para pacientes em terapia antiplaquetária dupla para prevenção secundária, sugerimos a interrupção temporária do inibidor do receptor P2Y12 enquanto continua o AAS; e se estiver em monoterapia com AAS cardíaco para prevenção secundária, sugerimos contra sua interrupção.

Para ler o resumo completo, em português, acesse a plataforma. Ainda não é cadastrado? Cadastre-se aqui .

Este resumo refere-se ao conteúdo originalmente publicado em: https://journals.lww.com/ajg/Fulltext/2022/04000/American_College_of_Gastroenterology_Canadian.16.aspx

doctorhub.com.br

Comments are closed.